FGV EAESP, Fiocruz, LSE e British Council fazem parceria para estudar hepatite C no Brasil

CEPESP  |  10 de março de 2020
COMPARTILHE

A professora Elize Massard da Fonseca,  professora  da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas ( FGV EAESP) e pesquisadora do Cepesp/FGV, vai coordenar, em parceria com os professores Francisco Inácio Bastos, da Fundação Oswaldo Cruz / Fiocruz, e Ken Shadlen, chefe do Departamento de Desenvolvimento Internacional da London School of Economics (LSE), um estudo multidisciplinar sobre a hepatite C no Brasil, com apoio do British Council. O projeto será sediado no Centro da América Latina e Caribe (LACC) da LSE.
Intitulado “Resposta brasileira contra a hepatite C: vigilância, controle e assistência”, o projeto de pesquisa vai combinar contribuições a epidemiologia, de ciência política e da saúde pública. Ela se enquadra nos chamados “Links institucionais sobre políticas baseadas em impactos e evidências (saúde e doenças negligenciadas)”, projeto do Newton Fund, que apoia projetos de pesquisa focados em ciência e inovação e que promovam desenvolvimento econômico sustentável e bem estar  das populações.

Apesar do progresso no diagnóstico, gerenciamento e tratamento do vírus da hepatite C (HCV) e o impulso proporcionado pelas iniciativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) para eliminar as hepatites B e C até 2030, ambos continuam a representar grandes desafios para a saúde global. “Não existe vacina para a hepatite C e os tratamentos existentes, embora curativos, são notoriamente caros”, observa Fonseca.
Aproximadamente 700.000 pessoas em todo o mundo morrem anualmente de complicações da infecção pelo HCV. “O objetivo deste estudo  é utilizar uma abordagem multidisciplinar para investigar a resposta do Brasil _ país que foi pioneiro na luta contra o HIV / AIDS  – à epidemia de HCV”, acrescenta a pesquisadora.

Elize Massard Fonseca: abordagem multidisciplinar sobre o combate do Brasil à hepatite

O estudo vai estimar a prevalência do HCV em diferentes populações e os fatores de risco associados à infecção por este vírus, usando dados de diferentes bancos de dados públicos e informações fornecidas pela dinâmica da infecção pelo HCV e casos clínicos no Brasil.

Além disso, o trabalho também conduzirá análises políticas para explorar a dinâmica da controversa estratégia brasileira de resposta à epidemia de HCV, que combina protocolos de tratamento baseados em evidências e iniciativas inovadoras para a produção local de versões genéricas de medicamentos antivirais de ação direta (DAAs) no contexto dos conflitos sobre a proteção de patentes farmacêuticas.

Pela primeira vez, um projeto colaborativo investigará sistematicamente a vigilância, controle e atendimento do HCV no Brasil, o que pode fornecer evidências sólidas, geradas por descobertas empíricas, modelagem matemática e análise política para orientar iniciativas governamentais e não governamentais no combate a essa infecção. 

Esta pesquisa tem o suporte do projeto Institutional Links, do Newton Fund, mantido pelo British Council. A bolsa é financiada pelo Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial do Reino Unido, Fundação Oswaldo Cruz/Fiocruz e Fundação Getúlio Vargas (FGV) e entregue pelo British Council. O Institutional Links fornece subsídios para o desenvolvimento de colaborações de pesquisa e inovação entre o Reino Unido e os países parceiros, através de instituições de pesquisa e ensino superior em todo o mundo.  

Deixe seu comentário
leia também
Veja Mais
Receba nosso feed de notícias