Pesquisadora fala sobre influência do twitter de Trump no mercado financeiro

CEPESP  |  8 de maio de 2019
COMPARTILHE

No dia 02/05, a professora Allyson Benton, do Centro para Pesquisa e Ensino em Economia (CIDE) do México e pesquisadora visitante do Cepesp/FGV, apresentou o seminário “Does  the @realDonaldTrump really matter to financial markets?”.

O seminário fez parte das apresentações da Linha de Pesquisa PESP (Política e Economia do Setor Público), da Pós-graduação da FGV-EAESP, e foi realizado em parceria com o Cepesp/FGV.

A apresentação se baseou num artigo de Allyson escrito em conjunto com o pesquisador Andrew Q. Philips, do Departamento de Ciência Política da Universidade do Colorado (Boulder). Nele, os estudiosos buscaram ver o grau de influência dos tweets de Donald Trump no mercado financeiro.

A professora Allyson Benton durante o seminário “Does the @realDonaldTrump really matter to financial markets?”. Foto: João Pedro Malar

Tudo começou quando Allyson notou que, em diversos momentos em que Trump publicava tweets sobre o México e seus planos para o país,  o peso mexicano oscilava de valor. “Toda vez que Trump tuitava, o peso caía”, comenta Allyson.

Os pesquisadores estranharam essa situação, porque, partindo de uma teoria de análise clássica de economia política, o mercado financeiro deveria ser influenciado apenas por informações novas, que afetariam o valor de ações ou moedas. Os tweets de Trump, porém, não traziam nada de novo, portanto, a partir dessa teoria, não faria sentido que eles influenciassem no valor do peso mexicano.

O que Benton e Philips fizeram foi criar uma nova teoria: você pode conhecer as políticas e ideias de um candidato num período eleitoral, mas não consegue saber o seu comprometimento com elas. Nesse caso, os tweets de Trump mostrariam esse comprometimento a partir de falas repetidas, que confirmariam os medos de investidores e afetariam o mercado.

A questão do comprometimento seria essencial pois, conforme ele vai sendo reforçado, fica cada vez mais difícil não colocar suas propostas em prática, já que isso desagradaria sua base de apoio. Portanto, cada tweet de Trump torna suas propostas para o México mais e mais prováveis de serem postas em prática, e assim o mercado reage de forma negativa, aumentado a volatilidade da moeda mexicana.

Os planos de Trump para o México eram conhecidos desde meados de 2015, então, em teoria, após isso suas declarações ou tweets não influenciariam muito o mercado por apresentarem ideias já conhecidas.

Mas não foi o que ocorreu: os pesquisadores conseguiram comprovar a influência na relação diária peso x dólar e nos aumentos da volatilidade do peso a cada tweet. Ou seja, o valor do peso em relação ao dólar apresentava variações, geralmente com uma desvalorização.

A pesquisa também levou à criação de um novo método de representação gráfica, que permite visualizar de forma mais simples os resultados encontrados. É importante ressaltar que, além de seus tweets, os retweets e curtidas de Trump também influenciaram o mercado, exatamente por mostrarem comprometimentos ou informarem posições do presidente.

Allyson concluiu o seminário apresentando as contribuições teóricas da pesquisa: uma nova teoria (a relação do comprometimento com a economia política), um novo uso de dados em pesquisa (tweets), uma nova via de análise para pesquisas em política e mídias sociais (análise de mercado financeiro) e um novo foco em pesquisas de mídias sociais e mercados (os atores políticos).

Além disso, o artigo também traz questionamentos éticos e políticos, em especial sobre como regular posts de oficiais públicos em redes sociais, e se posts de perfis privados de oficiais públicos (caso do @realDonalTrump) deveriam ser regulados, considerando o impacto dos mesmos em economias e relações entre países.

Deixe seu comentário
leia também
Veja Mais
Receba nosso feed de notícias