TSE falha na resposta às acusações de fraudes nas urnas feitas por Bolsonaro

CEPESP  |  15 de outubro de 2018
COMPARTILHE

AB009BA1-5C08-4B32-84E8-B12A157584B0.jpeg

O candidato Jair Bolsonaro (PSL), que liderou o primeiro turno das eleições de 2018, sugeriu em seu pronunciamento no domingo, 7 de outubro, que a disputa foi para o segundo turno em razão de fraudes nos resultados eleitorais que impediram sua vitória.

Para o historiador e pesquisador do Cepesp, Luiz Felipe de Alencastro, a resposta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) às acusações do candidato do PSL, feita pela presidente Rosa Weber, foi insuficiente.

Ela (Weber) disse que acredita nas urnas, mas que há liberdade de opinião. Se amanhã o prefeito de São Paulo, por antagonismo com o governador de São Paulo, disser que a água da Sabesp está contaminada é uma opinião? Não! É um absurdo, ele tem que provar isso”, enfatiza Alencastro em análise especial das apurações dos votos para o portal de notícias UOL.

Sobre o pronunciamento de Bolsonaro, Rosa Weber declarou que “temos que enfrentar nossas preocupações com tranquilidade. Em um estado democrático de direito, o bom é isso, que as pessoas possam se expressar. As pessoas têm direito a ter suas opiniões”.

A presidente do TSE disse também que só o Tribunal só irá tomar providências sobre o caso se houver apresentação formal à Justiça.

“Você acha que bastava dizer que cada um tem a sua opinião? ”, questionou Alencastro sobre a fala de Weber. O historiador entende que a falha do TSE já nessa campanha do primeiro turno foi “gritante” e faltou energia para contestar afirmações de fraudes nas urnas.

Deixe seu comentário