“Centrão é amorfo, sem líderes nem ideologia”

CEPESP  |  20 de julho de 2018
COMPARTILHE

Para o cientista político do Cepesp, Sérgio Praça, o Centrão não passa “de um grupo partidário amorfo, sem líderes nem ideologia”. Em artigo publicado na revista Exame, o pesquisador afirmou sobre os partidos que formam o Centrão: “A única coisa que têm em comum é a vontade de participar de qualquer governo através de cargos de confiança”. E ainda lembrou que essas siglas não querem concorrer à Presidência da República. “Qualquer sinalização nesse sentido faz parte da barganha com quem tem reais chances de vencer”, disse.

Praça ainda comentou que “o problema é que não se pode excluir outros partidos a partir do uso desse termo. Por que o Avante não faz parte do Centrão? Ou mesmo o PDT? Bem, o PDT lançará Ciro Gomes à presidência. Mas passou os últimos 15 anos (especialmente de 2003 em diante) procurando cargos no segundo e terceiro escalão”.

congresso nacional
(imagem: Dante Laurini Jr)

O pesquisador lembrou que o termo Centrão surgiu durante a Assembleia Constituinte de 1988/1989, quando um grupo suprapartidário de 319 parlamentares se uniu para derrubar a proposta parlamentarista e anti-Sarney. Aprovada a Constituição, cada grupo e/ou partido foi cuidar da sua sobrevivência.

Íntegra do artigo

Deixe seu comentário